O Comitê de Assessoramento e Acompanhamento das Ações de Controle da Dengue em Umuarama terá reunião ordinária nesta quinta-feira, 17, quando serão atualizados os números da infestação de residências pelo mosquito que transmite a dengue, o zica vírus e a febre chikungunya.

A apresentação do Liraa (Levantamento de Índice Rápido para Infestação por Aedes aegypti) mais recente é um dos temas da pauta da reunião do comitê, que começa às 14h desta quinta, no anfiteatro do Serviço nacional de Aprendizagem Comercial (Senac). Outros temas previstos são a avaliação e aprovação da ata da reunião anterior, assuntos gerais e o relatório de atividades da Vigilância Ambiental referente a abril de 2018.

Na reunião anterior, a Vigilância Ambiental informou ter visitado 14.081 imóveis para fiscalização, dos quais 6.456 encontravam-se fechados. Houve tratamento contra possíveis focos do mosquito em 487, totalizando 876 depósitos, e outros 21.820 pontos que poderiam acumular água foram eliminados. Em março foram recebidas 51 denúncias e reclamações nas ouvidorias da Prefeitura e da Secretaria de Saúde, visitados 588 pontos estratégicos e realizados 18 bloqueios com UBV (inseticida aplicado com ultrabaixo volume).

A equipe enviou para análise 94 tubitos com larvas de mosquito coletadas nas fiscalizações, emitiu 31 multas e realizou seis ações de educação em Saúde, cinco reuniões e a coleta de 490 pneus velhos. Desde o início de abril, a Vigilância Ambiental está sob a coordenação do servidor municipal Rafael Amaro.

A presidente do comitê, Ligia Adriana dos Santos, informou o saldo disponível na conta do órgão, arrecadado com as multas aplicadas nos últimos meses, que é de R$ 69.097,87. No ano passado, foram gastos apenas R$ 3 mil do fundo para confecção de fantasias para o teatro do mosquito da dengue. “O dinheiro está reservado para emergências, não sai da conta para nada que não seja extremamente essencial”, disse a presidente.