A Prefeitura de Umuarama inicia nos próximos dias, por meio de uma empresa contratada em regime emergencial, a construção de uma nova ponte sobre o córrego Pinhalzinho, na ligação entre as ruas José Balan (no Parque Laranjeiras) e Rua das Azaleias. Com problemas estruturais, a ponte começou a ser demolida nesta segunda-feira, 15. Ela estava interditada desde novembro do ano passado e na chuva da última sexta-feira, 12, praticamente desmoronou.

Por conta disso, a travessia está interrompida. A opção de passagem segura mais próxima é a ponte do Parque Laranjeiras, que fica a cerca de 500 metros, e o município está empenhado na conclusão da ponte do Jardim Espanha (350 metros abaixo), que está dentro do cronograma e vai oferecer mais uma opção de ligação aos moradores e comunidade em geral.

Com equipamento próprio, a Prefeitura iniciou a demolição e desobstrução do córrego para passagem das águas pluviais. “Temos que liberar a calha do Pinhalzinho para não represar a água, em caso de mais uma chuva forte. Em seguida a empresa iniciará as fundações e no prazo estimado de 60 dias ou um pouco mais a nova estrutura será levantada. A ponte terá porte semelhante ao da construída no Petrópolis”, explicou o secretário municipal de Obras, Planejamento Urbano e Projetos Técnicos, Isamu Oshima, que visitou o local no final da tarde.

Em entrevista na manhã desta segunda, o prefeito Celso Pozzobom afirmou que a construção dessa travessia é prioridade, bem como a recuperação da tubulação danificada na Avenida Parigot de Souza, que resultou na interdição parcial da via. “São locais de tráfego intenso, importantes para a mobilidade da população. A demolição da ponte já começou e nos próximos dias trabalharemos em todos os locais atingidos pelas chuvas”, explicou. “Enquanto isso, a população pode fazer a travessia pelo Jardim Petrópolis, com a ponte em perfeitas condições, bem estruturada e sinalizada, com espaço seguro para pedestres e ciclistas”, reforçou.

A ponte do Parque Laranjeiras será construída com recursos próprios e, de acordo com o secretário Isamu Oshima, está orçada em R$ 480 mil.