A população da região do Parque Laranjeiras, que há algumas semanas já vinha utilizando provisoriamente a ponte sobre o córrego Pinhalzinho para cruzar para a rua José Balan e depois para o centro da cidade, agora já pode passar com mais segurança. A travessia recebeu pavimentação asfáltica na segunda-feira, 11, e o trabalho será finalizado com a colocação do meio-fio e, nos próximos dias – após período de cura do asfalto –, receberá sinalização vertical e horizontal.

Depois de anos de espera, com serviços paliativos em uma estrutura comprometida pelo tempo e pelas mudanças no fluxo do córrego, que com os anos passou a receber grande volume de enxurradas, a comunidade agora conta com uma ponte mais larga, alta e segura para o seu deslocamento. “O serviço demorou um pouco mais que o previsto, mas está sendo concluído agora e todos podem ver a qualidade e segurança que a nova ponte proporciona”, disse o prefeito Celso Pozzobom.

A obra atende aos pedidos dos moradores, mas também à necessidade de opções para a circulação de veículos – principalmente em direção à PR-323. A ponte antiga foi destruída pelas chuvas e uma nova estrutura foi erguida. O secretário municipal de Obras, Planejamento Urbano e Projetos Técnicos, Isamu Oshima, dá mais detalhes da obra. A base dos aterros foi reforçada por pedra rachão, que auxilia na drenagem das nascentes sob as alas de concreto.

A ponte foi construída com vigas de concreto padrão rodoviário, com vãos preenchidos por concreto armado com grossas vigas com ferro. “A estrutura é bem reforçada. A escavação do solo para fixar as cerca de 90 estacas de sustentação utilizou concretagem durante a perfuração. Utilizamos o sistema de hélice contínua com preenchimento instantâneo com concreto usinado”, recordou o secretário.

O vão tem 13 metros de extensão, por 11 metros de largura e pouco mais de 4 m de altura. Serão 8 m reservados para o trânsito de veículos e dois passeios laterais protegidos de 2 m em cada – passagem segura para ciclistas e pedestres. A ponte restabelece a ligação entre a Rua das Azaleias e a José Balan, bloqueada desde novembro passado com o colapso da antiga ponte.

“Queremos uma obra definitiva, para resolver de vez o problema que a ponte antiga representava, exigindo reparos e cuidados a cada chuva. Investimos aqui mais de R$ 650 mil em recursos próprios, provenientes de receitas como o IPTU e outros tributos municipais”, completou o prefeito Celso Pozzobom.