Os recursos obtidos pela Prefeitura de Umuarama com a elevação do teto de repasses para custeio da saúde pública vão aliviar a aplicação de recursos livres que o município realiza mensalmente, para completar as despesas com atendimento de média e alta complexidade. A secretária municipal da Saúde, Cecília Cividini, explicou que serão R$ 4,8 milhões a mais por ano, repassados pelo Ministério da Saúde – R$ 400 mil a mais, por mês – obtidos com o apoio do deputado federal Osmar Serraglio junto ao governo.

O apoio do deputado foi fundamental para o sucesso de uma luta que o prefeito Celso Pozzobom e a equipe da Secretaria de Saúde vem travando desde o início do ano passado. “Quando recebemos a visita do ministro Ricardo Barros (Saúde) reforçamos o pedido e, com o apoio do Dr. Osmar, conseguimos aliviar um pouco as despesas que a Prefeitura tem com o custeio da saúde. Por conta da gestão plena, atendemos e bancamos o tratamento, em Umuarama, dos pacientes da cidade e de vários municípios da região”, explicou Cecília.

Por mês, o fundo de saúde do município recebe cerca de R$ 2,2 milhões – metade para as despesas de pacientes umuaramenses e o restante para atender moradores da região. A partir de fevereiro, esse valor terá o acréscimo de R$ 400 mil por conta da elevação do teto. Por lei, a Prefeitura deve investir pelo menos 15% das receitas livres em saúde – além dos repasses oficiais. Em Umuarama, esse investimento chega a 28% e às vezes 30% das receitas.

O prefeito Celso Pozzobom explica que há anos Umuarama recebe um repasse desproporcional com relação à população, na área de saúde. “Graças ao empenho da nossa equipe, a atenção e as tratativas do deputado Dr. Osmar, da secretária Cecília Cividini, diretora Renata Campagnole e da parte técnica da secretaria, encerramos 2017 com esta excelente notícia. Com os recursos extras poderemos reduzir um pouco a destinação de recursos livres do município e realizar investimentos, atender melhor a outras áreas e ter um pouco mais de fôlego para gerir as receitas”, disse.

Pozzobom agradeceu a todos que se empenharam para esta conquista, especialmente ao ministro Ricardo Barros – “pela atenção que tem nos dado e por ter atendido ao pedido do deputado Osmar Serraglio”, disse. “Iniciamos 2018 com esperança de um ano ainda melhor”, completou.

 

NÚMEROS

De janeiro a outubro do ano passado, a Secretaria de Saúde realizou 82.223 consultas médicas nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) da sede e distritos, clínicas de apoio e Estratégia Saúde da Família (ESF). O Pronto Atendimento Municipal (PA) acrescenta a esse volume mais 57.409 atendimentos, com um bom índice de satisfação. “Se os atendimentos do PA forem somados às consultas das UBS, teremos 139.632 consultas realizadas. Alguns pacientes foram várias vezes aos postos de saúde, mas com esse volume temos mais de uma consulta por habitante de Umuarama até outubro, sem acrescentar à estatística os atendimentos de novembro e dezembro”, avaliou a secretária Cecília Cividini.

No mesmo período, foram agendadas 26.931 consultas com especialistas e 24.617 foram realizadas (2.314 pacientes faltaram). Nas especialidades, destacam-se os volumes de cirurgia geral (2.215 procedimentos), endocrinologia (2.057), oftalmologia (3.627), ortopedia e ambulatório ortopédico (5.106 consultas e procedimentos) e urologia, com mais de 2 mil atendimentos, de um total de 17 especialidades.