Ao Vivo
 
 
Siga ao vivo

Igreja

                                Frei Bernardo participa de missa de envio antes do embarque para sua missão na África

Frei Bernardo participa de missa de envio antes do embarque para sua missão na África

Há poucos dias de embarcar, o novo missionário da Diocese de Umuarama se prepara para partir em missão para a Diocese de Bafatá, em Guiné-bissau, na África, para realizar suas atividades missionárias naquela região. O Frei Bernardo Luz, ou simplesmente, Irmão Bernardo, embarcará no próximo dia 28 de maio de São Paulo à África. Tomará consigo essa missão de Evangelizar onde mais precisa, ajudar os irmãos que necessitam de uma palavra de apoio e de fé. Frei Bernardo é Franciscano e irmão consagrado da Fraternidade Coração Chagado de Jesus de Umuarama e era, até então, secretário do Setor Diocesano de Juventude e coordenador do COMIDI (Conselho Missionário Diocesano). Bernardo passará, primeiramente, por um período de conhecimento e aprendizagem dos modos e costumes locais e também da língua Crioula. O idioma oficial do país é o Português, mas estima-se que atualmente a língua portuguesa seja falada somente por 15% dos guineenses, sendo que a maioria, 70%, falam o Crioulo de base portuguesa. Desejamos que Jesus e Maria, Mãe de Deus, possa iluminá-lo nesta etapa de sua vida e possa também sustentá-lo nos momentos difíceis e dar força e discernimento do Espírito Santo para continuar sua missão. Que possamos todos nós rezar por nosso irmão, para que possa ser instrumento de Deus nesta jornada. Confira as imagens da celebração de envio, realizada no último Domingo, 13 de maio, na Paróquia Catedral do Divino Espírito Santo de Umuarama, pelo Bispo Diocesano, Dom Frei João Mamede FIlho, OFM Conv., entre outros padres e diácono.   Por: Diocese de Umuarama
                                Cáritas Brasileira está formando 422 agentes de desenvolvimento solidário, sustentável e territorial em todo país 

Cáritas Brasileira está formando 422 agentes de desenvolvimento solidário, sustentável e territorial em todo país 

Um grupo de 422 pessoas, entre lideranças sociais e comunitárias de todo o Brasil concluirá em julho deste ano o curso de formação à distância “Pastoralidade, Cultura da Solidariedade e Bem Viver” oferecido pela Cáritas Brasileira desde outubro de 2017. A formação, composta por dois módulos, tem o objetivo de qualificar a atuação dos gestores, assessores e agentes da Cáritas na construção do desenvolvimento solidário sustentável e territorial, em conjunto com os grupos de base. Como resultado do primeiro módulo, cuja duração foi de outubro de 2017 a fevereiro deste ano, o coordenador geral do curso Leon Patrick informa que foi produzido um conjunto de 150 textos, entre artigos e outros formatos, sobre os temas geradores e também sobre áreas específicas. “As pessoas precisam de elementos teóricos e formativos que as ajudem a olhar para suas experiências e fazer uma leitura crítica e construtiva que aponte novos horizontes”, avaliou Leon. O membro da diretoria-executiva nacional da Cáritas Brasileira Luiz Cláudio Mandela ressalta que a produção dos alunos resultou num acúmulo muito grande que ajudará não apenas a Cáritas mas também o conjunto das organizações, movimentos e as próprias comunidades a fortalecer a sua ação a partir da elaboração desenvolvida. Carlos César de Oliveira, um dos participantes do curso. Foto: arquivo pessoal. Um dos participantes do curso é o Carlos César de Oliveira, mestrando do curso de Educação, Processos Formativos e Educativos e Desigualdades Sociais da Faculdade de Formação de Professores da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ). O cearense que há 12 anos mora no Rio de Janeiro atua no campo da educação e na da Pastoral da Juventude do Meio Popular (PJMP). Além da metodologia diferenciada, que propicia a interação e a reflexão sobre a ação pastoral, ele destaca que os educadores e facilitadores e a equipe pedagógica da Cáritas procuram estabelecer um diálogo direto e problematizador acerca das questões propostas, contribuindo, assim, para ampliar conceitos e repensar a prática a partir do binômio fé e vida. O coordenador do curso destaca que um dos grandes desafios, em se tratando de uma proposta de educação à distância, é o do acesso à tecnologia. “Muitos ainda não tem acesso adequado à internet e não conseguem dedicar tempo porque nos cursos de formação à distância cada um precisa criar um caminho de estudo pessoal”, avaliou. Temas geradores e específicos – Os temas geradores do curso são Pastoralidade e Transformação Social, Cultura da Solidariedade e Bem Viver, Sustentabilidade e Projeto Societário. Estes são conteúdos obrigatórios do curso com abordagem de 30 horas aula. O curso está abordando ainda os seguintes temas específicos: Convivência com os biomas; Economia Popular Solidária; Infância, adolescência e juventudes; Migração e refúgio; e Mudanças climáticas e gestão de riscos. Cada um destes temas se desdobra em 20 horas aula. O participante pode escolher os temas específicos que deseja cursar. O programa tem jornada máxima de 180 horas de capacitação e garante ainda a possibilidade de que cada pessoa organize seu próprio percurso formativo, com a exigência de inscrição em pelo menos um tema específico, totalizando assim 80 horas mínimas de formação à distância. A formação temática dos assessores técnicos e agentes voluntários é realizada na modalidade semi-presencial, por meio de encontros e cursos relacionados às áreas prioritárias de atuação da Rede Cáritas para o biênio 2017-2018. A parte presencial está sendo realizada por meio de encontros semestrais dos/as participantes em âmbito regional, com contribuição de especialistas nas temáticas. I MÓDULO 16 a 20 de outubro/17 – Ambientação e Acolhida na plataforma virtual 21 a 31 de outubro/17 – Apresentação do curso e dos temas geradores 01 a 15 de novembro/17 – Pastoralidade e Transformação Social 15 a 30 de novembro/17 – Cultura da Solidariedade e Bem Viver 01 a 15 de dezembro/17 – Sustentabilidade Organizacional e Projetos Societários 16 de dezembro/17 a 31 de janeiro/18 – Sistematização do Módulo I (trabalho final) Até 15 de fevereiro/18 – Devolutiva das sistematizações II MÓDULO 16 a 23 de fevereiro/18 – Ambientação 24 de fevereiro /18 – Início das temáticas das 05 áreas de atuação 24/02 à 20/03/18 – Primeira questão para debate em cada turma. 21/03 à 14/04/18 – Segunda questão para debate em cada turma. 15 de Abril/18 – Início do trabalho final 15 de Maio/18 – Último dia de entrega do trabalho final 31 de Maio – Devolutiva das sistematizações Maio Encontro Presencial obrigatório – nos regionais Por: CNBB