O Paraná completou no mês de abril dois anos sem óbitos por dengue. A última morte confirmada por dengue no Estado foi no início de abril de 2016. O objetivo agora é reforçar a campanha de vacinação e ações de conscientização para evitar a proliferação da doença.

“Foi graças a um trabalho coletivo, que une Estado, municípios e sociedade que os números de dengue reduziram drasticamente no Paraná. Saímos de uma epidemia de mais de 56 mil casos e 63 óbitos entre 2015 e 2016 para 587 casos e nenhum óbito entre 2017 e 2018”, explica a superintendente de Vigilância em Saúde, Júlia Cordellini.

Além de ações educativas e capacitações, o Paraná também está aplicando a terceira dose da vacina da dengue em 30 municípios. Iniciada no dia 20 de março, apenas 15% da população-alvo foi vacinada. O índice equivale a pouco mais de 17 mil pessoas vacinadas.

Cobertura

Os municípios com maior cobertura vacinal são Cruzeiro do Sul (66%), Santa Isabel do Ivaí (59%) e Munhoz de Melo (58%). As cidades com menor aderência da campanha são Mandaguari (4%), Paranaguá (6%) e São Miguel do Iguaçu (7%). Os índices de grandes cidades como Maringá e Londrina também estão baixos, com 16% e 12%, respectivamente.

“Precisamos ressaltar a importância de tomar a vacina e se imunizar contra a dengue. Além da vacinação, também é importante manter os cuidados para evitar a presença do Aedes aegypti, não deixando recipientes com água parada que podem se tornar criadouros do mosquito”, reforça chefe do Centro estadual de Vigilância Ambiental, Ivana Belmonte.

Por: Massa News