O duelo de brasileiras do peso palha pode ter sido apenas a luta co-principal do UFC Japão desta sexta-feira (22). Porém, Jéssica Andrade e Claudia Gadelha roubaram a cena com um dos maiores combates da história do MMA feminino, que terminou com uma vitória dominante de Bate-Estaca na decisão unânime dos juízes. 

A LUTA

Jéssica Andrade e Gadelha, ambas em busca de uma nova chance pelo título palha, atualmente em posse de Joanna Jedrzejczyk, começaram a luta trocando bombas. Mais técnica, Claudinha aceitou o jogo da adversária e começou conectando os melhores socos, deixando Bate-Estaca perdida. Aos poucos, porém, a lutadora de Umuarama foi encontrando seu jogo e se sentindo mais confortável com a distância imposta pela adversária. Então, ela passou a ser a agressora, colocando Gadelha contra a grade e conseguindo uma boa queda no fim. Após duro ground and pound, Andrade equilibrou o round inicial, mesmo com um profundo corte na testa.

No segundo assalto, porém, ela voltou ainda mais agressiva e, já tendo a distância de Claudinha, começou a punir a ex-lutadora da Nova União. Usando a mão mais pesada e encurtando a distância com maestria, Jéssica dominou todo o segundo assalto e conseguiu um 10-8 em duas das três papeletas dos juízes laterais. Gadelha só foi efetiva no fim, buscando uma guilhotina, que não chegou a estar totalmente encaixada.

O terceiro round foi mais uma cópia do segundo, com um domínio maior de Jéssica no chão. Ao plantar Claudia no tablado, Bate-Estaca desenvolveu todo seu jogo de ground and pound, mantendo o ritmo e conseguindo soltar golpes duros na barriga e no rosto da adversária, que se limitou a tentar minimizar os danos e repor a guarda. Mesmo assim, Jéssica conseguiu boa passagem de guarda e fez ainda mais danos na posição de 100 kg. No fim, Claudinha levantou, mas foi vítima de mais uma queda arrebatadora, que deu um ponto de exclamação na maior vitória da carreira de Bate-Estaca.

A vitória de Jéssica Andrade sobre Cláudia Gadelha, na co-luta principal do UFC Japão, foi repleta de sangue e ação e levantou o público presente à Arena Saitama. Tanto é que o combate foi eleito a melhor luta da noite desta sexta-feira. Com isso, as duas brasileiras levarão para casa o bônus de US$ 50 mil cada (R$ 160 mil).